Magufismo na Galiza, hoje dous por um : Auriculoterapia e negacionismo da SIDA


Hoje ergui-me com umha nova entrada na magnífica La Lista de la Vergüenza que denúncia as universidades, colégios profissionais e similares que promocionam pseudociências médicas ao mesmo nível que a ciência médica real. Neste caso era um curso de “Auriculoterapia”, um calote derivado da acupunctura que afirma a existência de ligaçom entre determinados pontos da orelha com partes do corpo, e que as enfermidades podem ser tratadas aplicando pressom ou punçom sobre as partes equivalentes desse pequeno troço de cartilagem. A justificaçom é que essa parte do corpo “semelha um feto invertido”. Como era de esperar o curso enquadra-se no infame mestrado de acupunctura e moxibustom da USC dirigido polo irresponsável Jesus Bernardo Otero Costas com a cumplicidade da Faculdade de Medicina e a própria universidade.

Por sorte nom todo forom más notícias: O jornal Praza Pública fixo durante a manhã umha notícia mui bem redigida sobre as denúncias e o polémico mestrado. Surpreende essa excelente resposta jornalística, conhecendo o panorama acrítico com as pseudociências que existe em muitas publicaçons gerais.

A outra má notícia -neste caso já horrorosa- é que um Centro Social (eles indicam Okupado) de Compostela vai dar voz e espaço a umha das fraudes pseudocientíficas que mais mortos por negligência tem causado na história. Estou a falar de dar espaço e apresentar como um tema apropriado para o debate as posturas dos negacionistas da SIDA. O CSO “A Casa do Vento” vai realizar umha palestra-debate com o autoproclamado experto Manuel Garrido na que defende ideias tam afastadas de todo o conhecimento cientista como que nom existe ligaçom entre o vírus VIH e a SIDA, que o próprio vírus nom existe, que a SIDA nom é umha enfermidade mas um contendor de sintomas com muitas causas, que a SIDA é um projecto criado por umha baralha completa de organismos para outra baralha inteira de objectivos nefandos e toda classe de disparates semelhantes. Recomendo ler a entrada de The Skeptic’s Dictionary que ademais inclui umha excelente bibliografia, assim como todos os descobrimentos e achegas que há décadas eliminarom todas as afirmaçons dos movimentos negacionistas. Isso quando nom foi a própria enfermidade quem rematou com a vida dos staffs das publicaçons negacionistas como as da revista Continiuum.

O que vai acontecer na Casa do Vento nom entra dentro desses debates possíveis com crentes nas pseudociências que algumhas pessoas ceptistas aceitamos por diversom e divulgaçom. Estamos a falar dumha ideologia que é responsável de que pessoas ponham em sério perigo as suas vidas e saúde, expondo-se a contágios -pois a linha que nega a existência do próprio vírus resta importância ao uso do preservativo- ou que deixem de tomar os tratamentos reais conhecidos contra a síndrome. Estamos a falar de ideólogos que têm alimentado os delírios de governantes da África para que desatentam a pandemia nos seus países, fazendo acreditar a populaçom em remédios como dietas, tratamentos “alternativos” e demais irresponsabilidades. Som todas estas pessoas tam cúmplices das mortes da SIDA como os responsáveis da Igreja Católica, e agora as pessoas do Centro Social A Casa do Vento unem-se a essa lista de irresponsáveis.

Addendum: Seguindo o tópico dos HINVEZTIGADORÉ repararam em que os dous eventos magufos som publicitados com cartazes cheios de gralhas? A ver se as dam topado todas.

P.S.: Cá tedes umha recolhida de adesons contra o evento negacionista em Compostela.

  • By casadovento, Marzo 23, 2012 @ 2:03 a.m.

    Doncs si al cartell de Casa do Vento hi ha faltes d’ortografía potser també siga perque en Compostela hi ha gent de fora que intenta fer coses en gallec (amb major o menor encert). Mira, ho sent molt si això a vosté li pertorba, però em sembla que a base d’errors també s’aprèn. Si em dius les errates, no es tornaran a cometre a la pròxima, il·luminat!

    I bé, la xerrada es fa perque hi va haver una proposta. Si li ve de grat, pot vindre a participar i aportar el seu punt de vista, perque ací el poble ignorant no entén massa sobre el tema i està necessitat de debats d’aquest tipus, i pel que sembla vostè en té molt a dir.

    Per cert, no li escriu Casa do Vento com a col·lectiu, sinó un catalanoparlant que viu a Compostela, que intenta fer coses en gallec (encara que sembla que de manera irritant per a alguns) i que aprofita un espai alliberat com aquest CSO per obrir debats que mai arriben a gent com nosaltres, tan allunyats de les altes esferes intelectuals entre les que es mou, sembla, gent com vosté.

    Si amb tanta soltura arrebat a través d’internet, apropes a Casa do Vento i diga la seua.

    PD. Li escric en català perque així segur que no comet errades.

Other Links to this Post