A praia do meu avô

É mui difícil de explicar, mas ver está foto sempre fai que chore. Já hai mais dum ano que morreu meu avô e esta é a foto que mais me emociona. Na fotografia está ele deitado numha praia de Guinea, em 1957.

Nom sei, todo o que para mim foi ele parece ligado com esta imagem: um homem culto até o extremo, que por umha razom ou outra percorreou todo o todo o mundo, e que sempre mantivo umha actitude para com a vida mui especial. Firme nas suas ideias, conversador até a fim, temperalmental nas discusons, mas também  contemplativo, pousado com umha estranha capacidade para desfrutar de cada momento, goçar do silêncio e do passar da existência.

Quero pensar que até nos momentos mais duros da longa enfermidade que rematou com a sua vida o meu avô tinha essa praia no seu interior e fitava para esse mar.

  • By L.Q.B., Xaneiro 7, 2009 @ 7:47 p.m.

    Ola, blogueiro que quer que lhe corrijam as gralhas. 😉
    Este é um post mui bonito, realmente, :), do que mais tenho gostado. Espero que nom te importes com que comente duas questonzinhas menores. 1) Depois de dous pontos, começa-se com minúscula :). 2) A locuçom “de vez” significa “definitivamente, completamente”, ou segundo a RAG “Totalmente. É parvo de vez. SIN. de todo.”, ou, segundo o e-estraviz “para sempre, de maneira decisiva, terminante”, ou segundo o priberam “irrevogavelmente; para sempre”(por exemplo, “agora é que vou poder aprender a tocar piano de vez”, “Com aquela carta incendiária, a nossa relaçom acabou de vez”).

  • By odemo, Xaneiro 8, 2009 @ 3:16 p.m.

    Obrigado L.Q.B. 😀

  • By pilar, Xuño 4, 2010 @ 9:28 p.m.

    Hay muchos abuelos como él que marcaron una etapa en la vida de este pais,pero ahora están olvidados, no convienen a muchos sus historias y experiencias.Menos mal que hay nietos como tú y tu hermano que siempre los tendréis en vuestra memoria.Teneis además una gran suerte pues los 4 abuelos fueron un ejemplo para todos.
    Por ellos.Un bico

Other Links to this Post