A vergonha alheia que nom cessa

Reparem neste twitt (chío) do senhor Alcalde de Lugo, do que me avisa Maria Yáñez.  Interrogativa aberta com “¿” (que nem na norma galego-espanhola da RAG existe, mas que em casos excepcionais), interrogativa acentuada (como em espanhol) e umha estranha forma verbal “venhe” que nom registra nenhum dialectólogo -e menos em Lugo-. Como bem diz ela os galegos só temos duas opçons: Ler os nossos políticos da sua própria mão com gralhas, ou ler o que escrevem os seus community manager… com gralhas também.

Já se escreveu muito  sobre o pobre galego dos nossos políticos, sobre que o único modelo oral que sai na TVG -com relativo prestígio- é um castrapo gramatical, léxico, fonético e expressivo – mirem se nom o anterior twitt do alcalde, com um “oido cociña”-. Já sabemos todos que as elites com voz na Galiza carecem de qualquer registro de galego culto, e quando há, é um decalque do mesmo registro no espanhol. Que isso seja conseqüência do analfabetismo, o desleixo ou dum plano mais claro de insultar-nos a todos, fica ao gosto do leitor.

Políticos galegos que falam como Os Tonechos, fai-te fã.

  • By rui, Xaneiro 22, 2011 @ 2:21 p.m.

    Para esta xente, o galego só é unha maquillaxe, unha língua litúrxica. En realidade a sua língua é o espanhol e cando se expresan en galego non fan máis que escarallalo, e fan crer aos galego-falantes que a do povo é unha língua adulterada.

Other Links to this Post

  1. A vergonha alheia que nom cessa — Xaneiro 23, 2011 @ 11:54 p.m.