Hino à moda de Madrid

Se nom che gusta isto és um intransigente, um inculto e um reacionário, e um xenófobo, e um ciganófobo, e racista em geral, e tés complexo de inferioridade… E claro, somos nós quem insultamos por pedir respeito polo nosso hino (concordemos ou nom coa escolha do mesmo).

Quem manda interpretar um hino à moda de Madrid, que tanto gosta dos tópicos de pandeireta, touro e sangria pode faze-lo sem mal no corpo. Tenho a teima de pensar que a meirande parte das pessoas nom atua levadas por umha intençom segreda, e assim me vai na vida. A senhora presidente pode gostar da música flamenca, eu nom, e promove-la e difundi-la: é cultura. A senhora presidenta pode ser insensível dabondo ao sentir dumha parte, considerável, dos galegos para os que a interpretaçom do Hino de Galiza baixo a optica dum tópico espanhol tem muitos significados. O que nem a senhora presidente nem ninguem podem fazer e insultar e quem nom concorda coa sua visom inocente do mundo.

Nom som político, nem jornalista, nem músico, nem publicista, nem pope cultural… mais coido que nom escapa a ninguem que viva o momento do nosso pais que a escolha dessa versom aflamencada do hino leva nas costas um monte de referências simbólicas nada inocentes. O flamenco nom tem culpa de encarnar de jeito universal as essências do espanholismo mais rançoso, pero e-che-vos o que há. A cultura musical que Andaluzia regalou ao mundo (Obrigado!) nom tem culpa da decisom dos seus governantes de vender o orgulho dum povo, mais isso é o que transmite. E tampouco tenhem culpa de compartir coas touradas, a peineta e a lingua castelhana o quadro da uniformizaçom forçada cara umha Espanha unicultural no passado ou da moda multiculturar e moderna da progresia na capital do reino. E repito, pode que a senhora presidenta nom pensara em nada disto ao escolher o estilo para interpretaçom do hino… mais para próximas ocasons é melhor que trascenda aos seus gostos pessoais, faltos de culpa, e olhe por um momento ao triste significado que carrega todo nestes tempos.

Mais os dous parágrafos anteriores som obra dum ignorante musical, dum retrógrado, dum reacionário, dum independentista cheo de carragem e falto de razom. E que di que respeita e ama outras culturas, pero minte, pois nom é umha pessoa mais um tópico. Sede bos e pensade que é umha homenagem ao povo cigano.

P.E.: E já chega de falar do  hino,  que muito  mais horrível e importante  é a iluminaçom do parlamento estilo “laser de discoteca”

  • By a randeeira, Decembro 23, 2006 @ 6:29 p.m.

    Lendo tanto sobre este tema polo blogomillo, aínda non atopei a ninguén que apoie a decisión de La Lola e o seu himno nacional lalailo. O siguinte paso teno que dar o BNG e romper a coalición de goberno e si fai falta que disolvan o Parlamento… esta xentiña non ten suficiente calado moral para representar a cidadania da nosa nazón. Cada día que pasa dame máis noxo a clase política a que estamos condenados.

Other Links to this Post