As calçadas de Matogrande

Já reparara vai uns meses em que as ruas do bairro de Matogrande nom seguiam a legislaçom sobre acessibilidade e circulaçom de pessoas com mobilidade reduzida. Ir coa cadeira de rodas do meu avô é impossível , os chanços entre a calçada e da rua som de até três quartas.

Podo entender que tardem em adaptarem as ruas mais velhas da cidade, pero falamos de umha obra que nom tem seis anos, construida coa normativa actual de acessibilidade. Quem permitiu esse traçado? O mais surpreendente é que vai umha semana e pouco, comenta o meu avô, começarom umha segunda obra para adaptarem as baixadas para a rua de todos os passeios. Cinco anos tarde! Eu conheço bem pouco da burocrácia de urbanificaçom, mas coido que o normal -o racional e lógico- é construir de primeiras bem e acordo coa legalidade. E a norma do próprio concelho que encarrega a obra! Que senso tem permitir umha obra mal feita e depois gastar mais quartos em adapta-lo todo? Nom sai mais barato fazer os acesos bem de primeiros?

Para escrever o parágrafo precedente situei os neurónios em “modus coitado”, a meirande parte dos meus miolos sabem percever a a diferença entre: Umha obra, Duas obras.

  • By eu mesmo, Xuño 21, 2007 @ 10:39 a.m.

    Alguén coñece algún sitio do país onde se cumpran as normas para facilicar a integración social das personas con discapacidades físicas, psíquicas ou sensorias?
    Nesto como noutras cousas, a Galiza camiña a anos luz doutras nacións (véxase o que se fai en Euzkadi).

  • By odemo, Xuño 21, 2007 @ 10:43 a.m.

    A cousa é que cumprir a normativa cumprem… pero em dous passos. Primeiro construem mal -quartos- logo amanham -mais quartos. Se o concelho tem que autorizar a primeira obra… nom obriga entom a construir acordo coa normativa? e cinco anos depois amanha a cousa com outra obra :S :S

Other Links to this Post