Quatro de quatro!

A direita espanholista encarnada no PP (e no PSOE) ressuma ódio de morte contra toda cultura diferente da espanhola oficial. Esta afirmaçom é umha das que na situaçom política e social actual que nom admite umha escala de cinza, podem acochar que se repugnam perante as mostras vivas -as línguas, culturas,jeitos de viver- de que Galiza, Catalunya ou Euskal Herria nom som parte real desse construto militar chamado “España”. Por isso nom é raro que quando o Partido Popular quer fazer umha campanha “por España” com argumentos do tipo “Somos más y tenemos más razón” (que já retirarom da página) e queiram cubrir com umha pátina de “cooficialidade” o seu ódio metam tantas burradas:

cartel_grande_gallegoa2p.jpg

Nom há ninguem no PP, em toda Espanha, ou na franquiadeste partido franquista na Galiza que poida indicar que:

… os artigos possessivos sempre levam um artigo demostrativo diante, agás nos primeiros graus de parentesco?

… o décimo mês do ano leva o nome de outubro ou outono?

… a segunda pessoa do imperativo do verbo acudir é “acode”?

… a perifrase “acudir a celebrar” é um castelanismo?

E que estas quatro gralhas som tal em todas as normas do galego?

Que possibilidades há dum cartaz do mesmo partido com um “Semos Hespaña Ben a zelevrar”?

PS: Comentarom-me que a versom em euskera inclue erros ainda mais grandes, tanto que a declinaçom errónea dai como resultado um curioso “de Espanha somos” (como possessivo)…

  • By o'sanma, Outubro 3, 2007 @ 8:44 p.m.

    Os “PePeros” sempre che forom de “brocha gorda” e “rodillo”. Filhos da pátria que os pariu!!!

  • By turonio, Outubro 3, 2007 @ 9:59 p.m.

    sempre estou dacordo mais ou menos co que dis e se a mensaxe é: en galego dálles igual de calquera maneira estou ao cento por cento dacordo. Pero non comparto que o imperatico de acudir sexa acode pois precisamente o imperativo é sempre máis fechado que o indicativo e neste caso é acude.
    Non sei como se escribe/pronuncia nas outras normativas do galego pero acode (o aberto) só pode ser presente de indicativo, cando menos en lingua oral.
    Pero vamos… un desastre de ideas e unha maneira igualmente desastrosa de plasmala na nosa lingua.

  • By odemo, Outubro 3, 2007 @ 10:08 p.m.

    Homem, agora só tenho o conjugal em linha, mas o presente de indicativo também é “acodes” (2ª) e “acode”(3ª)…

  • By Chimpin, Outubro 4, 2007 @ 12:39 a.m.

    Dou fe do do euskera. Como dixeches que ias facer un concurso de cartaces fun practicando.

    http://img126.imageshack.us/img126/4343/cartazeuskarari9.jpg

  • By turonio, Outubro 4, 2007 @ 2:46 p.m.

    pero non imperativo

  • By O Breogán de Gáidil, Outubro 6, 2007 @ 1:55 p.m.

    Qué medo de xente…

  • By Xerelo, Outubro 7, 2007 @ 3:33 p.m.

    A alternacia vocálica só se dá no presente de indicativo.

    “Os verbos que teñen u como vogal final do lexema no infinitivo (durmir, tupir…) poden presentar dous tipos de alternancia no presente de Indicativo (no resto dos tempos coinciden):”

  • By Uz, Outubro 9, 2007 @ 6:35 p.m.

    Imperativo de acudir em galego-português:

    acode [tu]
    acuda [ele]
    acudamos [nós]
    acudi(de) [vós]
    acudam [eles]

  • By Samo, Novembro 11, 2007 @ 2:26 p.m.

    máis alá do de acude-acode… hai que recoñeser que os fachas son unha lindesa constante.

    aisss…

    saúde!

Other Links to this Post