Tripas e (é) dilema!

Leio em Que vida de porquiño sobre essa disputa tam galega das tripas.  Eu confesso-me adorador das tripadas, só cozidas, com um pouco de sal, pimentom vermelho e azeite. Na imagem tedes umha outra preparaçom, com spaguetti de sepia, cogumelos portobello e as tripas com um pouco de mel.

A cousa é que eu nom tenho bem claro essa linha de separaçom Norte-Sul das tripas. Na minha casa só as comemos eu, a minha nai e a minha tia, e a minha avó quando vivia. O meu pai, o meu irmao e o meu defundo avô  marchavam comer fora os dias de tripada. A cousa é que a família paterna é de-la-coru-de-toda-la-vida, o meu avô de Malpica e a minha avó de Sada. A minha nai e a minha tia crescerom entre Guinea, Perú e a Praça de Vigo na Corunha… como explicamos essa distinçom culinária?  Isso sim, a minha santa é nom-tripas 100%, e é bem do sul, mas de baixarmos um pouco mais, até Porto a cousa muda…  Por onde corre a isotripa?

[E vós sodes de tripas?]

  • By Shea, Marzo 3, 2008 @ 3:38 p.m.

    Creo que quedou ven claro que no acubillo que compartimos es ti o unico tripeiro…

    A proxima vez que petendas disfrutar de tal maravilla culinari avisa que pido asilo político na casa de Mou :/

    Iso si, se a ti che prestan non deixes de comelas neniño 😉

  • By Suso (galegoman), Marzo 5, 2008 @ 6:35 p.m.

    Na minha comiam-se a miúdo, tanto por parte de mãe (Roupar) como de pai (Espiñaredo), mas nom sei por que há anos que nom as como na casa. Há um mesom nas Pontes no que fazem umhas tapas de tripas que estam que-lo-flipas acompanhadas com Ribeiro em cunca 🙂

  • By Uz, Marzo 6, 2008 @ 8:09 p.m.

    Na minha casa faziam-se muito, mas só as comiam minha avó (que já morreu) e meu pai. Meus irmãos mais eu nunca aturamos o cheiro das tripas ao se cozerem, que nos produzia similar sensação que o cheiro de um pôlo escaldado. Depois de lavadinhas e fritas, já podem saber bem, que este trauma nasal difícil cura pode ter.

    NOTA: mas nunca é tarde. Há três anos redescobri o polvo, e há um par de anos redescobri as orelhas de porco. Se calhar algum dia redescubro as tripas (“os crespos”, como chamamos na casa a esta comida).

Other Links to this Post