Posts tagged: compostela

«Como veo que no sabes hablar español, no me interesa. Gracias» Discriminaçom Galegófoba em Base (Compostela)

Podedes ler no PGL o último caso de discriminaçom por mor da língua. Poderia-se argumentar muito contra a actitude da responsável de quadro de pessoal da franquia de Base em Compostela. De base que os únicos bilingues reais neste país som os galegofalantes, os únicos que por força tenhem que aprender e empregar um idioma alheio na sua própria terra. Mas o tempo do diálogo passou, cumpre agir. Ainda que seja algo tam singelo como um correio, umha actitude de protesto, um boicote pessoa, umha difussom desta informaçom. Uno-me a Sechu com este correio enviado a: centro@base.net e
marketing@base.net . Claro está, riscando Base dos lugares onde poderia comprar.

Bo dia:

Escrevo como cidadam indignado ao ter notícia dumha discriminaçom em funçom de língua num dos seus estabelecimentos.

Informam os media que a encarregada de contrataçom na franquia sita no centro comercial Área Central de Santiago de Compostela, considerou nom válida para o trabalho ofertado a umha solicitante por esta ter empregado o galego em todo momento. Agravando-se a situaçom pola carência de modais da sua empregada que afirmou: «Como veo que no sabes hablar español, no me interesa. Gracias».

Como falante da única língua própria do país nom podo fazer outra cousa que empatizar com a pessoa que sofreu esta discriminaçom e agir em consequência. Dado que o emprego do galego para a comunicaçom parece ser um problema para a contrataçom na sua empresa suponho que também o será na relaçom com os seus clientes. Como consumidor absterei-me entom de comprar-lhes nada, e procurarei informar a todo o meu círculo de conhecidos da sua atitude, assim como difundir este caso por todos os médios.

Sem aguardar nenhumha rectificaçom pola sua parte, despido-me.

Fernando Trigo Chouzinho

Unide-vos!

Cidade estranha

Quando tomas caminhos estranhos entre dous pontos que conheces bem podes topar árvores dum jardim de Ryel’h e esse ouvido longe pode ser dum cam de Tyndalos olhando desde os ángulos da rua.

E nunca levas cámara boa avondo para os fotografar.

Uns cálculos na casa após a manife polo povo palestino

Isto é um apontamento pessoa e nom um estudo sistemático e profissional. Para próximas manifes gostaria de fazer algumhas fotos e contar com ajuda, e fazer assim algo mais parecido ao “Manifestómetro“, umha página espanhola que convertiu isto de medir as manifes numha arte.

O protesto contra o massacre em Gaza foi todo um sucesso. A reaçom da cidadania galega foi forte, que demonstrou que ante umha desgraça humanitária assim pode reagir. Há anos que nom participava numha tam grande. Por isso, quando os jornais falam de números ridículos, redigidos umhas horas ou dias antes do acto, como 10.000 pessoa sinto um comechom no amor próprio. Assim que é cousa de colher google maps e calcular.

Adoito fazer estas analises para mim, e baseo-me na minha percepçom pessoa, por isso desta vez nom há fotografías. Se tenho tempo e ganas farei disto umha práctica habitual. O bom para esta analise é que as manifes “clássicas” em Compostela seguem sempre o mesmo percurso: Carvalheira de Santa Susana, Alameda, Rua da Senra, Praça Galiza, Doutor Teixeiro, República Argentina, Rua do Horreo, e outra vez Praça Galiza, e depois já entra na cidade velha, com caminhos variados. O dado fundamental é que quando eu entrava em Praça Galiza puidem observar que a cola da manife ainda estava saindo da carvalheira de Santa Susasa e que a cabeça desta já saia da praça polo outro lado. Isso dai umha ideia para calcular a area, graças a Google Planimeter.

Marquei o máximo número de pontos possíveis, para ajustar a medida -a imagem superior é só para ilustrar- e partim da ideia de encher a rua e nom o passeio.  É certo que alguns tramos a gente estava mais pegada, noutras tomava o passeio, etc…  A área total calculada foi de 8834 , de forma conservadora.

Isso fai que com duas  pessoas por metro quadrado tenhamos 17668 pessoa e com três pessoas por metro quadrado temos 26502 e com quatro 35336. A minha opiniom pessoa, repito, é que o em meia a densidade estava entre duas e três: a gente estava mui pegada na maioria dos tramos, e os ocos forom temporais. Tanto na cabeça como na cola habia muita mais densidade.

Tomando como densidade a menor e ponhendo um número redondo eu fixo a manife numhas 15.000 pessoas.

La Voz de Galicia: “MIles” sem umha cifra concreta.

Soitu: Emprega a mesma fonte que La Voz (Efe) mas já fala de 10.000.

El Correo Gallego: “Miles” no manchete, 10.000 no corpo.

A Nosa Terra: Fala também de 10.000

Gznación: 5.000 (!!)